Arquivo da tag: As viagens de Marco Polo

Uma mentira com mais de 700 anos?

       As Viagens de Marco Polo tem marcado milhões de pessoas por
mais de setecentos anos. Na infância, viajei no livro por todo o Oriente. Com o
veneziano, nasceu minha atração pela China, país que eu viria a conhecer e
sobre o qual também escreveria um livro. Marco Polo revelou detalhes da longa
Rota da Seda, como a riqueza das cidades, o poder do imperador mongol Kublai
Khan na recém-construída Beijing, a vastidão de seu império, o avanço da
cultura chinesa que já usava o papel como moeda no século 13, a vastidão e os perigos
dos desertos e das montanhas, os muitos reinos existentes entre a Europa e a
China, os costumes, os povos, os animais exóticos.
          Seu gosto pela descrição minuciosa
enriqueceu o relato, transformado em bestseller
manuscrito, pois a imprensa ainda não existia no Ocidente. Foram tantas as
novidades reveladas, que poucos acreditaram nelas, e a obra ficou conhecida
como Il Milione, isto é, Um Milhão
de Mentiras. Historiadores ainda discutem se Marco Polo de fato
trabalhou para Kublai Khan, pois não existem referências à sua presença na
corte chinesa, tampouco ele cita a Grande Muralha ou hábitos locais arraigados,
como beber chá. O veneziano criou um império com a imaginação?
          No entanto, por estar lá ou por ouvir
de quem esteve, ele capturou o encanto e o espanto do Oriente. E o fez tão bem,
que suas descrições serviram de base para mapas do século 14, além de seduzir
todas as gerações desde que suas viagens vieram a público, ao redor de 1300.

          Foram de verdade ou de mentira? Não
importa. As Viagens de Marco Polo continua
sedutor. Como dizem os italianos, se non
è vero, è bene trovato
. Bene trovato por sete séculos. Parece
mentira.
Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail